Os jogadores do Palmeiras, Jailson, Felipe Melo e Dudu, além do diretor de futebol do clube, Alexandre Mattos, foram ouvidos nesta segunda-feira (12) pelo Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP) por incidentes referentes ao clássico contra o Corinthians, vencido pelo Alvinegro, no último dia 24 de fevereiro.


O maior regional do Brasil está pegando fogo! Não quer perder nada da Copa do Nordeste? Então, clique aqui, assine o Esporte Interativo Plus por apenas R$9,90/mês e assista aos jogos AO VIVO! Dá só R$0,33/dia!


"Acredito que não tenha punição, porque foi tranquilo. Procurador e relator estavam tranquilos. Fizemos os trabalhos deles, os atletas foram serenos, com a cabeça fria, deram um depoimento equilibrado. Acredito que o assunto se encerrou aqui", disse ao jornal Estadão o advogado do Palmeiras, André Sica.


Quanto às declarações de Dudu e Jailson, que insinuaram após a partida que o Corinthians tende a ser beneficiado pela arbitragem quando joga em casa, o advogado palmeirense também adotou um tom mais ponderado e disse que os atletas apontaram que a pressão feita pela torcida corintiana torna a partida mais difícil para todos os envolvidos.


"Eles disseram que a arbitragem entra lá de alguma forma pressionada, mas por circunstâncias normais da partida, por 40 mil pessoas torcendo para apenas um time. É difícil para todo mundo atuar, seja para os atletas e para o árbitro", completou Sica.


Com todos os depoimentos em mãos, o tribunal decidirá se encaminhará alguma denuncia e, consequentemente, se os incidentes serão julgados. Por enquanto, nenhuma punição preventiva foi definida e, portanto, todos os envolvidos poderão estar à disposição para a fase final do Paulistão.


Foto: Divulgação/Agência Palmeiras


as


Clique aqui para assinar!